terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Foge, foge com o super man


Quem teve o privilégio de desfrutar o fim de ano numa cidade de praia com certeza viu dezenas desse estereótipo. É o ápice da vaidade masculina que chamou muita atenção nas areias. Já escrevi anteriormente que não somos frutos do fordismo, ou seja, não somos produtos feitos em série. Mas, hoje não tenho tanta certeza disso, porque a moda ditou, e estamos lá todos iguaiszinhos.
O estereótipo em questão é uma mistura de homem com super herói. Geralmente com corpos esculturais proveniente de muita malhação e medidas narcisistas em frente ao espelho da academia já proporciona um ar de superioridade, mas ainda está muito humano. Então, coloca-se uma tatuagem que toma geralmente uma parte de um dos braços e para chamar ainda mais atenção uma corrente de prata grossa e a sunga mais chamativa possível. O super herói está completo.
Eu sou gostoso. Grita o meu ego numa rodinha de futebol com iguais ou caminhando pela praia cumprimentando a todos como os políticos em época de campanha eleitoral.
Não teve espaço para magrinhos nem para gordinhos. São os super man que elas querem. Desta forma, “foge, foge mulher maravilha, foge com o super man”. Na minha percepção esse estereótipo está tão longe do ser humano comum que ao olhar para eles sinto como se eles não tivessem sentimento, como se fossem inabaláveis, indestrutíveis.
Outra curiosidade fica por conta dos adolescentes que já começaram a aderir à moda, mas ainda não tem independência para “mofar”. Assim, as correntes de prata são mais finas, as tatuagens no braço são de rena, o corpo ainda em processo de desenvolvimento.
Se não bastasse todos os acessórios para chamar atenção, os super man estão cada vez mais feras nas “dancinhas” de verão. Eles rebolam de com força, fazem coreografia coletivas, geralmente com uma caneca de cerveja na mão, pois o super man não bebe direto na latinha.
Até onde isso tem afetado a masculinidade dos “super men” que agora prestam muito mais atenção no corpo do outro com análises comparativas? A vaidade masculina ali palmo a palmo, quiçá superando a vaidade feminina.
Foge, foge mulher maravilha...
Foge, foge DO super man...

                                             Jacques Manz

3 comentários:

Nuriko disse...

E mais uma vez ataca a ditadura da beleza.
Que bom que o tipo de super herói que me interessa é outro.

visao disse...

você gosta mesmo da palavra estereótipos heim! na boa.. acho que no fundo vc adora tudo isso!

Jaques Manz disse...

obrigado pela visita e pela sensibilidade.

Postar um comentário