sexta-feira, 27 de agosto de 2010

A arte de ler


O que seria das palavras se ninguém as lesse? O que seria da leitura se não fosse à sensibilidade? As palavras sozinhas seria um agrupamento de símbolos sem sentido. E a leitura pela leitura seria uma obrigação fadada ao esquecimento. A sensibilidade eleva a patamar divino um conjunto de letras, e na ausência desta seria como ler algo em Russo, para mim não teria efeito algum. Peço-te sensibilidade leitor. Sinta o peso de cada palavra. Ou melhor, perceba no jogo das palavras, perceba no meio dito, perceba nas entrelinhas, esqueça o obvio, esforça-te para perceber o que deixo oculto. No dia em que sentires o que um escritor oculta entrarás na alma dele. E imediatamente começarás a escrever. E todo o dia sentirá a necessidade de ocultar algo para ter alguém penetrando em tua alma.
Sensibilidade! Escrever é uma arte. Mas, ler pode ser uma arte ainda mais rebuscada. Sem a arte de ler, sem a entrega total àquilo que se apresenta num texto, de qualquer gênero, não haveria o impacto que se espera em uma leitura. Isso é traumatizante para qualquer escritor.
Sensibilidade!
Quando me perguntam:
- Como você conseguiu escrever algo tão lindo?
Eu prontamente respondo.
- Eu apenas agrupei as palavras sua sensibilidade deu vida a esse agrupamento e tornou lindo.
- E como você conseguiu agrupar tão bem?
- Simples. Porque acredito que num universo de milhares de pessoas, ao menos uma terá a sensibilidade para captar e tornar os símbolos em arte. No dia que eu desacreditar nisto, paro de escrever.
O escritor tem seus méritos. Mas, dedico maior mérito a você que me ler e está sensível ao que escrevo.
Sensibilidade.

                                                                                             Jacques Manz


1 comentários:

Isabelle disse...

Amorrrrr...
Adoro ler-te, sempre faço-o, mas a "preguiça" consome-me a mim e o escrever-te em respostas, fica sempre para depois...
Adoro o teu ser escritos, cantor, homem...
Manz, eu te adoro, completo e sensível.

Postar um comentário